Todos os anos o setor de hotelaria apresenta novidades buscando sempre a maior satisfação e conforto dos clientes. Tendências vão e vêm, e o que era moda ontem pode não ser mais hoje. Por isso, é importante que todos os empresários da área, sejam donos de hotéis ou pousadas, estejam por dentro do que mais agrada ao público e o que deve ser levado em consideração para melhorar a experiência de todos.

E para não ficar atrás da concorrência nesse ano, conheça as 10 tendências de hotelaria para 2018.

Tendências Hotelaria 2018

1 – Reservas Mobile e Aplicativos

Cada vez mais pessoas usam os aplicativos de smartphone para fazer de tudo durante o dia a dia. E para consultar ou reservar hospedagem a tendência é a mesma. A geração millenium, que corresponde a boa parte dos turistas da atualidade, domina os dispositivos mobile e os usa quase 24 horas por dia.

Hoje, 75% dos viajantes já preferem usar celulares ou tablets para fazer reservas de hospedagem. E 35% costumam procurar e reservar hotéis através do telefone, em aplicativos próprios ou sites.

Além disso, 90% das pessoas não fica em um site se ele não for responsivo – adequado para aparelhos móveis. Todos os dados são de pesquisa do Google para o setor hoteleiro.

Você já viu que é fundamental pensar em todas as mídias para que o hotel ou pousada seja encontrado por quem procura. Tornar o site responsivo e marcar presença forte nas redes sociais são as premissas básicas. Para as redes maiores, a viabilidade de desenvolver o próprio app deve ser considerada.

2 – Operadoras e Agências

O mais comum hoje em dia é o turista pesquisar de tudo sobre a viagem através de intermediários. Sejam operadores ou agências, eles tendem a crescer ainda mais nesse segmento, em geral trabalhando para facilitar a vida de quem pesquisa. E você já deve ser familiar ao nome da maioria dos mais importantes players desse mercado.

Submarino Viagens, ViajaNet, Decolar, SkyScanner, Trivago, Booking, Expedia, Hotel Urbano, CVC e AirBnB. Todos eles são bastante famosos no Brasil e usados por milhões de pessoas que buscam a melhor opção de hospedagem para a viagem que está planejando. E alguns deles estão absorvendo os outros, aumentando sua fatia de mercado, o que pode gerar aumento de preços com a menor concorrência. E, de toda forma, a tendência para 2018 é que esses intermediários se estabeleçam ainda mais.

3 – Sites de Comparação de Preços

Nessa mesma categoria se inserem os sites que se especializaram em mecanismos de comparação de preços para viagens. Com essa ferramenta chamada Meta Search, eles se tornaram muito úteis a qualquer viajante, que pode em alguns segundos encontrar as melhores opções de hospedagem para onde vai viajar.

Sites de comparação de preços ganham ainda mais espaço junto aos viajantes!

E tudo fica dividido por preço, localização, tipo de quarto ou o filtro que o turista desejar. A possibilidade de ter o trabalho de pesquisa poupado e o tempo gasto bastante reduzido acabou ajudando a seduzir os internautas, que em sua maioria já usam desses meios para encontrar a hospedagem em suas viagens.

4 – Mix de Distribuição Digital

Aos empresários do setor hoteleiro, é ainda mais fundamental hoje em dia variar os meios de divulgação do que era antes. A internet é imensa, e oferece possibilidades quase infinitas para quem sabe aproveitar e traçar uma estratégia de marketing e de distribuição digital eficiente.

Ampliar seu mix é a melhor maneira de se manter presente em todos os lugares.

Entre as OTA’s (sigla em inglês para Agências Online de Viagem) e outras mídias não pagas, vale a pena investir em tudo. As primeiras são intermediários que cobram pela publicidade, como o Booking e o Hotéis.com, entre outros citados no item 2. E, definitivamente, valem o cadastro, pois possuem grande inserção no mercado e número de acessos em suas plataformas. As outras são sites de propaganda espontânea como o Trip Advisor, o Guia Viagens Brasil e o Férias Brasil, por exemplo, que também merecem a atenção na hora de planejar os esforços de comunicação e distribuição digital. Além, é claro, das sempre poderosas redes sociais.

5 – Investimento em Marketing Digital

Aproveitar todas as nuances do ambiente online é a melhor maneira de se divulgar sem estourar o orçamento. Apostar na OTA’s é uma boa pedida, é verdade, mas as taxas de comissão costumam ser altas – e nem todo negócio consegue extrair bom custo-benefício delas por isso. E aproveitar o marketing digital é a solução para quem quer economizar sem perder uma fatia do bolo da internet.

O primeiro passo é ter um website atrativo, bem diagramado e com design moderno. E, principalmente, com navegabilidade boa, intuitiva. Assim, o cliente pode fazer a reserva direta pela sua plataforma – e, quem sabe, até oferecer um desconto para quem fizer assim.

O próprio Booking divulgou pesquisa em que 66% dos usuários admitem que visitam o site do hotel antes de confirmar a reserva. Então aproveite isso.

Conteúdo de qualidade no portal também ajuda a atrair visitantes, então invista no marketing de conteúdo. E as redes sociais precisam estar sempre atualizadas e se comunicando com os seguidores para se manter no top of mind do público.

6 – Diferenciação

Não há dúvidas de que a era digital gerou excelentes oportunidades para todos os setores, e o de hotelaria também. Por outro lado, as vantagens da internet também produziram uma concorrência maior e que, mais do que nunca, está muito próxima ao público. Então todo hoteleiro precisa saber lidar com isso e também se aproximar dos clientes em potencial. E nada melhor do que se diferenciar para isso.

Hoje, a maioria dos hóspedes busca alguns benefícios na hora de pesquisar hotéis ou pousadas. Entre promoções, pacotes e outros diferenciais, quem tem algo a oferecer sai na frente na preferência de 75% dos visitantes.

Em pesquisa do Trip Advisor, foi esse alto número de 3/4 das pessoas que disse abandonar os sites à procura de tarifas melhores. E existem algumas maneiras simples de conquistar esse viajante: use gatilhos mentais.

Os gatilhos mentais, ou triggers em inglês, são recursos persuasivos que deve utilizar no web site do estabelecimento. Use pop ups, barras informativas e cronômetros regressivos para despertar senso de urgência e de boa oportunidade na oferta; detalhes oferecidos pelas OTA’s como cancelamento grátis, desconto em dinheiro ou depósito direto, pensão completa caso haja estrutura de restaurante e até as clássicas promoções para lua de mel, aniversários, finais de semana, etc. O importante é pensar fora da caixa e inovar!

7 – Investimento em Reservas Diretas

Segundo pesquisa também do Trip Advisor, 25% dos turistas prefere fazer a sua reserva diretamente com o hotel ou pousada. No entanto, a dificuldade para entrar em contato diretamente com o local muitas vezes obriga a pessoa a reservar com os intermediários, como o Booking e o Hotéis.com, entre outros.

25% dos turistas prefere fazer a sua reserva diretamente com o hotel ou pousada

Ao empresário da rede hoteleira, cabe entrar na briga com essas OTA’s para levar diretamente o cliente ao seu site. Facilitar o acesso às reservas no próprio portal gera vantagem a todos: em geral o turista paga menos, e o hotel fica com a porcentagem inteira do valor em vez de pagar comissão ao intermediário (em geral de mais de 20% do lucro real).

8 – Gestão Digital

Se você ainda não investiu no meio digital, já passou da hora. Em 2018, usar e abusar dos meios online para se conectar de maneira maior e mais natural aos hóspedes só traz benefícios a qualquer hotel ou pousada. E dispensar algum tempo e dinheiro pensando na gestão digital é fundamental para conceber estratégias adequadas e se comunicar corretamente com o público.

Com os indicadores de performance é possível traçar a estratégia mais eficiente para atrair mais turistas.

Por exemplo, o monitoramento de origem dos hóspedes ajuda a traçar padrões – é sempre útil saber que a maioria dos seus clientes vem de tal cidade, podendo direcionar o seu geomarketing para aquela região e proximidades. O número de visitantes do site, a quantidade deles que acaba reservando diretamente por ali, o retorno de marketing e todos os indicadores de performance possíveis devem ser observados com carinho e atenção. Assim, é possível estar sempre com a estratégia mais eficiente para atrair mais turistas.

9 – Gestão de Reviews

A imensa maioria dos turistas já aproveita as facilidades da internet para pesquisar ao máximo sobre o local de hospedagem antes de fechar negócio. Através de comentários e avaliações de outros viajantes em sites especializados, como o próprio Booking ou o Trip Advisor, muita gente confirma ou desiste de um hotel – e também serve para restaurantes e outros serviços importantes para viagens.

Saber efetuar a gestão de reviews é determinante para o sucesso futuro do estabelecimento.

E não é somente apagar ou ignorar os comentários negativos, muito pelo contrário. É preciso mostrar que se importa com as avaliações, mesmo as negativas, lendo uma a uma e entendendo onde errou. E, é claro, corrigir os problemas indicados pelos hóspedes anteriores, de forma que os próximos possam ver que foi um percalço passageiro já corrigido pelo hotel.

10 – Fidelização de Hóspedes

E o ponto final, mas não menos importante, é trabalhar a fidelização de hóspedes. Se já era fator chave antes, a partir de 2018 tende a ficar ainda mais em evidência. Trazer um novo cliente é sempre mais trabalhoso e custoso, enquanto trazer de volta quem já se hospedou com você é bem mais simples: basta fazer um bom trabalho e oferecer o que a pessoa espera.

Essa fidelidade é mais fácil de conquistar em hotéis de foco corporativo, já que em viagens a lazer os turistas tendem a não voltar tão cedo para o mesmo lugar. Mas, nunca se esqueça, podem recomendar a amigos e parentes se hospedar no local caso saiam satisfeitos com a experiência.

Para aumentar as chances de fidelização, vale a pena apostar em estratégias como desconto para empresas distribuírem aos funcionários (mesmo que para viagens que não sejam a negócio), pacotes especiais, cancelamento, transfer ou outros serviços grátis para o turista que retorna. Não há mistério, basta descobrir o que o público mais deseja e trabalhar em cima disso com pequenos mimos.

Você pode perceber que em 2018 os hóspedes estão ainda mais conectados. Seu hotel ou pousada não podem deixar essa onda passar. É preciso investir no mercado digital e todas as estratégias ligadas a ele!

Mais dicas interessantes em nosso ebook Guia Definitivo do Marketing Digital para Hotéis e Pousadas. Baixe agora gratuitamente!